Oportunidades de Negócios

 
  Data Inclusão: 16/02/2001
Autor: Diário Catarinense

Lucros com aluguel de roupas

Investimento inicial é de R$ 50 mil e serviços como lavanderia são essenciais

Engana-se quem pensa que trabalhar com aluguel de roupa é fácil. O setor é regido pela sazonalidade e para abrir uma loja que ofereça qualidade o empresário necessitará de atualização constante, equipe especializada e serviços complementares como lavanderia. O investimento inicial varia de acordo com tamanho da loja, podendo chegar a R$ 50 mil.

O Attelier Ruth Guimarães está no mercado há 45 anos e tem como fator principal a fabricação artesanal de acessórios e complementos para roupas, com ênfase para vestidos de noivas e roupas para festas. A loja atua, inclusive, no ramo de figurinos para tevê, cinema e teatro.

Conhecer o mercado e saber construir uma peça são fatores fundamentais para a manutenção do negócio, explica Gino Santos, proprietário. Ele acrescenta que nesse mercado nada se repete.

- As mulheres são as que mais procuram o produto. Quando se vai a um casamento as pessoas procuram vestir-se bem. Não é elegante repetir roupas. O aluguel acaba sendo a solução. O empresário precisa ter conhecimento do produto e oferecer qualidade. O cliente exige limpeza e diversidade - informa Santos, advertindo que a existência de uma grande quantidade de lojas do ramo faz com que os preços caiam e, de certa forma, a qualidade também.

Optar por tecidos sintéticos

É necessário ter atenção com a matéria-prima utilizada nos modelos. Tecidos sintéticos reduzem s custos de importação, pois eles não desbotam e não precisam passar, comenta Santos. O empresário precisa de pessoa especializada para realizar este trabalho.

Ao todo são seis funcionários contanto com costureira e lavadeira. "O Attelier dispõe de uma estilista para confeccionar as roupas. Não compramos. Simplesmente criamos os modelos de grinalda e vestidos", diz Santos.

Um vestido pode custar R$ 150, fora acessórios. A rotatividade das roupas é importante. "Não existe estoque neste ramo. O vestido sofre vária s mudanças. Ele tem que ser adaptado ao manequim do locador", completa Santos.

Porém, o trabalho compensa. Santos declara ser apaixonante assistir à confecção de uma grinalda.
"Podemos comparar como o trabalho do pintor. Ele pára começa outro quadro e somente depois retorna ao do início. Esse é o trabalho do attelier. Não trabalhamos com desenhos", expõe.

Não é qualquer um que pode abrir um negócio de aluguel de roupas, enfatiza Santos. Segundo ele, o interessado tem que conhecer o mercado de alguma forma. É preciso participar de feiras e desfiles. Santos aborda a necessidade de o empresário obter influência.

O mercado absorve com facilidade o aluguel de roupas, observa Cristina Marques, gerente da Costa
Frasão, confecção e aluguel de roupas. Para atender com qualidade os clientes ela aconselha no mínimo 10 funcionários.

Propaganda boca a boca

A Costa Frasão está no mercado há 35 anos e somente trabalho com produtos importados. "São melhores e facilitam o aluguel. A loja confecciona através do pedido da cliente para depois colocar a roupa para o aluguel. Chamamos de primeira locação", explica.

Os meses de maior movimento segundo Cristina são: maio, julho, setembro, dezembro. "A moda muda de acordo com a estação e as lojas precisam acompanhar as tendências", informa.
O local é fator fundamental para que o cliente sinta-se satisfeito. Segundo Guaira Zeitune, proprietária Maison Prima's Attelier, o mínimo para oferecer conforto é 70 metros quadrados. "O locador precisa de espaço para provar", comenta.

A praticidade é outro ponto destacado por Guaira. Segundo ela, as pessoas hoje não têm espaço em suas casas para guardar as roupas de festa. "As clientes não querem guardar o vestido de noiva para o resto da vida. Atrapalha e não é prático. Por isso, o crescimento do aluguel de roupas. A cultura mudou", explica.

O retorno existe e pode ser satisfatório. Para se manter no mercado Guaira aconselha a propaganda boca a boca. Ela afirma que 80% dos clientes são mulheres.
O problema é conseguir profissionais capacitados, diz Guaira. "Para confeccionar encontra-se bastante pessoas capacitadas, mas não é qualquer um que sabe ajustar e consertar roupas", analisa.

A lavagem tem que ser pensada já na elaboração do negócio, define Guaira. Segundo ela, o empresário deverá investir em máquinas de lavagem profissional, pois as lavanderias podem prejudicar as roupas.

Custo das peças

- Os vestidos vêm sujos, com manchas e precisam ser limpos de maneira eficiente. O empresário pode optar por um pacote na lavanderia, mas o tecido com o tempo será prejudicado. E o desgaste fará com que o investimento em roupas cresça - aconselha Guaira.

O preço de um vestido varia de R$ 80 a R$ 180. Guaira explica que os acessórios são alugados separadamente e uma bolsa pode custar R$ 20. Ela admite que a negociação com o cliente caso ele leve mais de um vestido.

Há oito anos no mercado da Barra da Tijuca, o Attelier Prima's chega a atender 60 clientes por mês. "Temos roupas para todas as ocasiões como casamento, festa de quinze anos, madrinhas ou para qualquer tipo de evento social", informa Guaira.

Serviço:
Maison Prima's: 493-6355
Esperanza Fantasias: 3396-5610/7022
Attelier Ruth Guimarães: 552-1714/9272/ site:www.ruthguimaraes.com.br
Costa Frasão: 242-9293

Oportunidade com o carnaval

O segmento de fantasias, diferentemente do aluguel convencional, trabalha com animação de festas infantis, confecção para ocasiões como o Carnaval e a festa de Halloween. O investimento inicial chega a R$ 40 mil e o faturamento mensal varia de acordo com as festas podendo ficar em torno de R$ 4 mil.

Trabalhar com o supérfluo requer disposição e capital, afirma Jussara Maria Vianna Ferreira, proprietária da Esperanza Fantasias, há quatro anos no mercado. Uma diária de uma fantasia custa em média R$ 50 fora as perucas importadas e botas.

Os meses de janeiro, fevereiro, setembro e outubro são os melhores, informa Jussara que admite a necessidade de trabalhar com figurinos de épocas para televisão. Os vestidos custam R$ 75.
O Attelier poderá funcionar em casa, mas Jussara aconselha a dispor de um espaço para máquinas e provadores para os clientes. "Confecciono as roupas das festas e somente compro os acessórios.

- Criamos modelos diferentes para não ficar sempre igual. As pessoas que alugam uma fantasia dispõem de poder econômico para isso e exigem variedade e personagens novos. O empresário tem que gostar do que faz para confeccionar roupas de qualidade - comenta Jussara.

O mais difícil é manter o cliente, expõe Jussara. "Os clientes desse segmento são pessoas que gostam e podem pagar pelas fantasias. A diversão custa caro. Custear a roupa e também a entrada para uma festa é preciso no mínimo R$ 100. Não são todos que dispõem de capital para isso", diz .

Raio x

ALUGUEL DE ROUPAS


Investimento inicial: 50 mil

Faturamento médio mensal: R$ 20 mil

Funcionários: 5

Área mínima: 70 metros quadrados

Autor(a): Giselle Andrade

Fonte: Diário Catarinense


Destaques da Loja Virtual
SUPERDICAS PARA MOTIVAR SUA VIDA E VENCER DESAFIOS (AUDIOLIVRO)

Queremos ter sucesso buscando motivação em fatores externos, quando, na realidade, ela reside em nós. É isto o que Superdicas para motivar sua vida e ...

R$20,00